ebook Gestão Escolar Simplificada
eBook Gestão Escolar Simplificada
Baixe agora este guia definitivo e gratuito
para melhorar a gestão e o dia-a-dia em sua escola.

Confirmar download do ebook Gestão Escolar Simplificada
Receba imediatamente o ebook em seu email!

6 passos para montar um plano de aula
Postado em 25 de novembro de 2014, em Educação



Não importa se você vai lecionar pela primeira vez ou se já faz isso há 30 anos: entrar em sala de aula é, todos os dias, um desafio diferente. E está aí uma das grandes mágicas do ato de ensinar. Mas ao contrário de qualquer truque ilusionista, estar à frente de uma classe repleta de alunos requer resultados reais. E para isso é necessário estabelecer estratégias, traçar planos, garantir que a turma esteja engajada. Sim, engajada e participante no próprio processo de aprendizagem.

Ao contrário do que normalmente se pregava nos métodos de ensino mais tradicionais, o professor não é uma fonte entornando conhecimentos. Não é o protagonista de um processo vertical, subserviente. É, antes, um interlocutor que troca ideias com os próprios pupilos. E eles precisam se interessar por isso. Será que você está pronto para montar o plano de aula ideal para cumprir essa meta? Neste post, você vai conhecer 6 passos para montar um plano de aulas! Confira!

6 passos para montar um plano de aula - Gestão Escolar Simplificada

1) Explore o tema

Você já leciona a mesma disciplina, com a mesma grade curricular há muito tempo. Isso faz com que você saiba conteúdos de trás pra frente, do avesso ou, como dizem por aí, de “cor e salteado”. Certo? Não, não está.

Nenhuma matéria se esgota e nenhum profissional é unânime o suficiente para não precisar de novas leituras sobre determinada pauta, buscando fontes diferentes que versem sobre o mesmo assunto.

Vai ensinar um tópico específico? Leia o que conseguir sobre ele, confronte informações, procure vertentes que o expliquem de maneiras distintas ou mesmo discordem de determinados pontos. Isso vai ajudá-lo a ter ainda mais segurança em torno da questão e, claro, emitirá confiança para os alunos, além de dinamizar suas aulas.

2) Tenha traçados seus objetivos em torno dele

Lembre-se: você não é somente um canal despejador de conteúdos. É um comunicador de informações a grupos de pessoas. Portanto, não se contente somente em apresentar o que sabe.

Analise a grade curricular da instituição em que ensina, tente apreender o que ela quer com a inclusão daquele assunto específico no ensino da disciplina que você leciona, faça um diagnóstico sobre o ponto principal do que será ensinado e trace metas. Onde você quer chegar com a questão apresentada? Qual seria o ápice dela? Ou, resumindo: qual o destino dessa viagem educacional?

Ao responder essas perguntas, você evitará perdas de rumos, conteúdos e até mesmo de tempo.

3) Fique de olho no calendário e no relógio

Com os objetivos traçados, tente adequá-los à quantidade de aulas disponíveis no calendário escolar.

Conte com o fato de que as discussões podem terminar mais rápido do que você imaginar ou, como normalmente acontece, podem se arrastar por mais tempo devido ao grande interesse dos alunos (que participarão e discutirão o que for explicado) ou como consequência de pautas complexas, que vão demandar mais tempo para compreensão do que é explanado.

Questione também: apenas uma aula é suficiente ou será necessário contar com um pouco mais de tempo? Será preciso dividir o conteúdo em módulos, intercalando atividades práticas? É possível incluir dinâmicas no seu planejamento ou apresentação de trabalhos a partir de pesquisas dos próprios estudantes? Cruze suas respostas ao contexto e à disponibilidade de aulas que você tem. Lembre-se: o ano letivo é lógico e estruturado. Um movimento em falso e será impossível conter o “efeito dominó” até o final das aulas sem prejudicar seu trabalho em algum ponto.

4) Coloque-se no lugar do seu aluno

Faça um exercício imaginário em que consiga se colocar no lugar dos estudantes a quem você ensina. Leve em consideração a faixa etária, a realidade que vivem naquele momento, a comunidade em que estão, os interesses que apresentam, as coisas de quem gostam — ou não.

Também vale (e muito!) tentar se imaginar na posição do aluno em busca de motivação para se engajar nas aulas. O que você gostaria que fosse abordado e de que forma um professor ganharia sua atenção? O que faria você considerar uma aula como agradável?

5) Abuse de todos os recursos possíveis

Não pense no quadro e nos livros didáticos como únicos materiais necessários ao seu trabalho. Mudar o ambiente da aula, lançar mão de canais multimídia ou até explorar experiências sensoriais, hipotéticas e de imaginação podem ajudar.

Brinque, se solte, encene, busque o que for necessário para fugir do “mais do mesmo” e dinamizar seu próprio desempenho. Aulas prazerosas significam retorno positivo dos estudantes e, claro, motivação para você mesmo. Apatia e frustração nunca funcionaram como combustível para qualquer profissional — nem para seus públicos.

6) Avalie, avalie, avalie

Não se trata necessariamente de aplicar provas. A avaliação da recepção de determinado conteúdo começa na reação comportamental dos estudantes: eles estão atentos? Participam da aula? Questionam? Quanto maior for o engajamento, mais funcional estará sendo seu método.

Depois, aplique exercícios para serem realizados em sala ou aposte em dinâmicas que lhe ajudem a mensurar o grau de aprendizado de forma descompromissada e sem pressão. Deveres de casa ou trabalhos de pesquisa também ajudam nesse termômetro e, se bem verificados e analisados, ajudam a nortear seu trabalho, inclusive para remediar possíveis defasagens.

E você? Que outros pontos leva em consideração ao esquematizar seu plano de aula? Conte pra nós através dos comentários, divida experiências com outros leitores e não deixe de acompanhar nosso blog!








Ajuda / FAQ
Blog
Missão, Visão e Valores
Política de Privacidade
Fale conosco através do telefone (24) 2255 5209 ou pelo contato@diplomaster.com !
Suporte por telefone de 8h às 18h, de segunda a sexta.

Curta nossa página no Facebook     Rua XV de Novembro, 171 - Centro - Três Rios/RJ - CEP 25802-150